Quais são as causas comuns de queima de sêmen?

Muitas coisas podem causar a sensação de queima de sêmen, mas as mais comuns tendem a ser doenças, particularmente doenças sexualmente transmissíveis, lesões e trauma e infecção. Em casos raros, uma alergia específica à proteína pode ser culpada, o que pode realmente causar que um homem seja alérgico à composição de seu próprio sêmen. Independentemente da causa, sentimentos de ardor e picadas durante a ejaculação geralmente são sinais de um problema maior. Às vezes, a queima vai passar tudo por conta própria – isso é comum após uma lesão ou trauma – mas, em outros casos, só piorará até que o problema subjacente seja tratado. Especialistas em medicina geralmente recomendam que qualquer pessoa que experimente uma queima obtenha uma avaliação médica completa para descobrir a causa raiz, formular um plano de tratamento e descartar condições mais graves. Em quase todos os casos, a queima pode ser interrompida com medicação e certas mudanças de estilo de vida, mas o curso específico de ação que um homem deve tomar para chegar necessariamente depende de suas circunstâncias específicas.

O sêmen ardente é um sintoma comum de várias doenças sexualmente transmissíveis diferentes (DST). As DSTs são tipicamente infecções virais que passam de pessoa para pessoa durante a relação sexual ou outro contato sexual íntimo. Eles costumam ter uma lista bastante ampla de sintomas, muitos dos quais vão piorar e mais pronunciados quanto mais as coisas não forem tratadas. Estes podem incluir descarga peniana incomum, bolhas, vermelhidão, dor durante a micção e um mau cheiro. Tricomonaisis é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns que podem estar ligadas à sêmen ardente, também pode ser culpada a gonorréia.

A maioria das DSTs pode ser tratada quando detectada antecipadamente. O tratamento pode incluir medicação e abstinência de relações sexuais. É possível ser re-infectado com a maioria das doenças nesta classe, o que torna o uso de proteção realmente importante para quem não está em um relacionamento comprometido e monogâmico com um parceiro que é conhecido por ser livre de doenças.

Uma série de infecções na uretra e em torno da abertura do pénis podem, inicialmente, parecer DSTs, quando de fato elas são causadas por algo completamente diferente. As cepas bacterianas que penetraram nos tecidos, especialmente se há um risco ou ferida, são uma das mais comuns. As bactérias amam ambientes quentes e úmidos, e podem se acalmar no pênis para se multiplicar. Isso muitas vezes causa uma sensação ardente e irritante quando se ejacula – embora na maioria dos casos isso também aconteça durante a micção.

As infecções fúngicas tendem a ser mais freqüentemente associadas às mulheres, mas também podem acontecer nos homens, particularmente os homens que se envolvem em relações sexuais com mulheres infectadas. Esses tipos de infecções são tipicamente causados ​​por uma cepa de fermento particular, Candida albicans, que povoa as paredes internas da vagina. As mulheres saudáveis ​​geralmente têm uma química vaginal que evita o crescimento não controlado, mas quando o equilíbrio químico se desmorona, seja devido a hormônios, medicamentos ou algum outro fator, as leveduras podem crescer de forma fora de controle. Isso muitas vezes leva a queima, comichão e dor geral, e o problema pode se espalhar para o pênis durante as relações sexuais. Em um homem, esta infecção normalmente permanece alojada na ponta do pênis, embora possa espalhar a uretra e em todo o sistema reprodutivo se não for prontamente tratado.

Homens que estiveram em acidentes ou que sofreram trauma em seu pénis ou testículos também podem experimentar sêmen ardente de tempos em tempos, geralmente como resultado do processo de cura natural do corpo. Se a dor persistir, porém, pode ser um sinal de que as coisas não estão realmente curando corretamente. Na maioria dos casos, as coisas vão se corrigir com o tempo, e a gravação aqui geralmente é apenas um sinal de que houve uma lesão em algum lugar dentro do sistema. Abster-se de ejaculações e relações sexuais no curto prazo geralmente é a melhor maneira de facilitar a cura.

Às vezes, a queima não pára com a ejaculação. Quando a sensação acontece sempre que o sêmen toca a pele, uma alergia ao plasma pode ser culpada. Este tipo de reação pode levar a sintomas semelhantes a qualquer outra resposta alérgica, incluindo prurido e vermelhidão. Costumava-se pensar que os homens não podiam ter alergia ao seu próprio sêmen, mas a pesquisa moderna em grande parte refutou essa teoria. O parceiro sexual de um homem também pode ter uma alergia ao dele, ou a tudo, o sêmen.

Uma alergia à proteína do sêmen é relativamente rara, embora não seja inédita. Os tratamentos são geralmente semelhantes aos de outros casos de alergia tópica e, na maioria dos casos, visam reduzir a irritação e o desconforto. As mulheres que reagem ao sêmen de seus parceiros também devem tentar evitar o contato através do uso de preservativos.

A maioria dos especialistas recomenda que os homens recebam uma avaliação médica sempre que sentem uma sensação de queimação que não se afasta sozinha após alguns dias ou parece piorar com o tempo. Certos medicamentos podem reduzir os sintomas e acompanhar o que pode estar causando o problema pode ajudar a prevenir episódios futuros, bem como descartar e tratar condições mais graves à medida que surgem.