Quais são algumas doenças bacterianas?

As doenças bacterianas são doenças infecciosas que afetam pessoas, causadas por bactérias patogênicas humanas. A maioria das bactérias são inofensivas para as pessoas, e algumas são bastante benéficas. No entanto, alguns podem causar doenças, e alguns são bastante mortais. Muitas doenças bacterianas podem ser tratadas com sucesso com antibióticos modernos, embora o uso excessivo dessas drogas se torne cada vez mais uma preocupação.

Uma das mais comuns das doenças bacterianas que afetam os seres humanos é a tuberculose. Causada por uma bactéria chamada Mycobacterium tuberculosis, esta doença é responsável pela morte de cerca de 2 milhões de pessoas por ano, afetando principalmente populações da região subsaariana do continente africano. As bactérias patogênicas são a causa de doenças infecciosas, incluindo lepra, tétano, sífilis e febre tifóide. Doenças transmitidas através de bactérias através do consumo de alimentos incluem salmonela e shigella.

Staphylococcus, cuja principal espécie patogênica é Staphylococcus aureus, é a causa da maioria das infecções hospitalares. As cepas resistentes a múltiplas drogas tornaram-se cada vez mais problemáticas devido ao uso excessivo de antibióticos. Streptococcus pyogenes é a bactéria que causa estreptococos, embora nem todos os estreptococos sejam prejudiciais. Alguns são benéficos, como Streptococcus thermophilus, que é uma das bactérias que ajuda a produzir iogurte de leite.

As bactérias patogênicas podem ser sub-classificadas em relação à forma como elas interagem com uma pessoa infectada. As bactérias condicionalmente patogênicas fazem parte da flora humana normal e costumam coexistir pacificamente sem causar qualquer doença. No entanto, esses mesmos organismos podem causar pneumonia e meningite em certos indivíduos.

Rickettsia é considerada uma bactéria patogênica intracelular, pois só é capaz de viver dentro das células de um organismo hospedeiro. A febre manchada das montanhas rochosas e Typhus são causadas por uma espécie diferente de Rickettsia. Uma terceira classe de bactéria patogênica é chamada de agente patogênico oportunista. Estes causam doenças principalmente em pessoas com sistemas imunossupressores comprometidos, como pessoas com AIDS e pacientes com câncer submetidos a quimioterapia.

Os antibióticos são usados ​​para tratar pessoas infectadas por doenças bacterianas. Existem dois tipos gerais de antibióticos: bacteriócidos matam bactérias e bacteriostáticos simplesmente evitam o crescimento de bactérias. Os antibióticos, além de tratar doenças em seres humanos, também são usados ​​para promover o crescimento de animais de fazenda. Nos últimos anos, é o uso excessivo de antibióticos nestas duas maneiras que muitos cientistas afirmam que causou uma resistência crescente aos antibióticos na população em geral.

Existem muitos métodos simples pelos quais as infecções por doenças bacterianas patogênicas podem ser prevenidas. Ao cozinhar alimentos a pelo menos uma temperatura de 140 graus Fahrenheit (60 graus Celsius), a maioria das bactérias transmitidas por alimentos podem ser mortas. A limpeza adequada de implementos e superfícies de cozimento, particularmente tábuas de corte, também pode ajudar a minimizar o risco. A esterilização adequada de equipamentos médicos, como seringas, cateteres e instrumentos cirúrgicos, são medidas importantes que podem ser tomadas para prevenir a infecção bacteriana.

Quais são as melhores dicas para baixar o colesterol vldl?

Altos níveis de colesterol de lipoproteínas de muito baixa densidade, ou colesterol de VLDL, podem contribuir para a aterosclerose, portanto, baixar níveis no sangue pode contribuir para a saúde geral. Uma das melhores maneiras de fazer isso é comer uma dieta saudável, incluindo abundância de frutas e vegetais, proteína magra e grãos integrais, limitando carboidratos simples e gorduras saturadas também é muito importante, pois podem desencadear um aumento na VLDL. Perder peso também pode ajudar, pois os níveis elevados de colesterol VLDL são muitas vezes associados à obesidade. Outras boas dicas incluem exercitar diariamente e evitar álcool. Se essas etapas não funcionam, medicamentos para reduzir o colesterol podem ser uma boa opção.

Comer uma dieta saudável é fundamental para reduzir o colesterol VLDL. Os alimentos que são ricos em fibras, como frutas, vegetais e grãos integrais, são conhecidos por ter um impacto positivo. Os ácidos graxos ômega-3 nos peixes são também uma boa escolha, bem como nozes, feijões e óleos saudáveis ​​como azeitona ou cártamo. Também é importante minimizar a quantidade de carboidratos simples consumidos, como pão branco processado, macarrão e bolachas, bem como doces como doces ou biscoitos, pois estes podem causar níveis de colesterol VLDL. Alimentos com alto teor de colesterol e gorduras saturadas como ovos, carnes ricas em gordura e alimentos fritos também devem ser comidos com moderação.

Outra boa dica para diminuir o colesterol do tipo VLDL é perder peso. Os níveis elevados de VLDL são freqüentemente associados ao excesso de peso ou à obesidade, e a perda de libras extras pode ajudar a derrubá-las. Além de comer uma dieta saudável, pode ser útil encontrar um plano de dieta que reduza a ingestão global de calorias também.

O exercício também pode reduzir os níveis de colesterol VLDL. Adicionar atividades como caminhar, correr ou andar de bicicleta para a rotina diária pode diminuir o VLDL, além de aumentar o HDL, ou a lipoproteína de alta densidade, o que é bom para a saúde. Uma rotina de exercícios consistentes também pode ajudar com a perda de peso.

Retomar o álcool é outra estratégia que pode ajudar a reduzir o colesterol VLDL. Beber é conhecido por aumentar os níveis de triglicerídeos no organismo. Embora ter uma bebida ou duas pode não ser prejudicial para a maioria das pessoas, os interessados ​​sobre os níveis de colesterol podem querer considerar evitá-lo por completo.

Para aqueles que não têm sucesso com esses métodos, medicamentos podem ser necessários. Existem medicamentos para reduzir o colesterol que podem ajudar a diminuir os níveis de VLDL. Estes podem incluir estatinas e ácido nicotínico.

Quais são as causas comuns de febre e suores noturnos?

Uma febre e suores noturnos são sintomas que podem ter uma variedade de causas, de alterações hormonais normais, especialmente durante a menopausa, a condições médicas severas, como a tuberculose. As opções de tratamento são tão variadas como as causas potenciais, uma vez que a condição subjacente deve ser devidamente diagnosticada e tratada individualmente.

As suoridades noturnas geralmente ocorrem sempre que a febre está presente. Infecções comuns, como o resfriado comum, podem causar ambos os sintomas em alguns pacientes, e eles geralmente desaparecem por conta própria, uma vez que a infecção é resolvida. Não há medicação eficaz para tratar a maioria das doenças virais, como resfriados, mas medicamentos de venda livre geralmente proporcionam alívio dos sintomas. As infecções bacterianas também podem causar febre, e os antibióticos prescritos são freqüentemente prescritos para aqueles que o corpo não pode recuperar por conta própria.

As mulheres na menopausa geralmente experimentam febre e suores noturnos devido a flutuações hormonais durante esse período. Quando esses sintomas estão presentes, o ginecologista freqüentemente realizará exames de sangue para determinar se os níveis de estrogênio são normais. Em alguns casos, a terapia de reposição hormonal pode ajudar a aliviar esses sintomas da menopausa. Os aumentos do sono podem ser prescritos, pois a insônia geralmente ocorre como resultado das alterações hormonais.

Se esses sintomas se tornarem um problema persistente, um profissional médico provavelmente irá solicitar testes para determinar se uma doença grave, como tuberculose ou leucemia, está presente. O diagnóstico precoce dessas condições pode aumentar as chances de alívio dos sintomas e ajudar a prevenir complicações. Na maioria dos casos, no entanto, esses sintomas não estão relacionados a condições severas, como estas.

Existem algumas mudanças de estilo de vida e remédios caseiros que podem ajudar a proporcionar algum alívio de febre e suores noturnos. Por exemplo, algumas pessoas acham que diminuir a temperatura ambiente antes de ir para a cama, muitas vezes permitem que eles dormam melhor, impedindo a insônia devido ao desconforto desses sintomas problemáticos. Tomar um banho legal e beber um copo de água antes da cama também é útil.

Tomar uma dose de aspirina ou paracetamol imediatamente antes da cama pode reduzir a febre que geralmente leva a suores noturnos. Evitar exercícios físicos ou banhos quentes antes da cama também podem ajudar a prevenir esses sintomas. A cafeína, os cigarros e o álcool podem aumentar a pressão arterial, aumentando a possibilidade de suores noturnos, de modo a evitar que essas coisas até tarde da noite possam ser benéficas. Muitos pacientes também se beneficiam de manter um registro do sono, o que ajuda a acompanhar qualquer coisa que possa contribuir para o problema, como temperatura ambiente ou estresse emocional.

Quais são os melhores tratamentos para dor no pé e inchaço?

Os melhores tratamentos para dor no pé e inchaço dependem do que está causando isso. Tipicamente, os medicamentos que aliviam a inflamação e reduzem a dor são o tratamento de escolha. Além disso, a elevação do pé melhora a circulação e pode reduzir a dor e o inchaço. Aplicar gelo no pé geralmente resulta em diminuição do inchaço e desconforto. Ao usar gelo, o gelo deve ser colocado em uma bolsa de gelo ou envolto em um pano macio para evitar contato direto com a pele.

Algumas condições do pé, como a tendinite, podem causar dor extrema após o movimento e inchaço significativo. Embora os analgésicos sejam geralmente eficazes no alívio dos sintomas, o médico precisa ser notificado quando a dor é severa. A tendinite refere-se a uma condição em que os tendões se inflamam por lesão ou uso excessivo. É comum nas mãos, mas também ocorre no cotovelo e nos pés.

Um joão de pé é uma condição dolorosa que faz com que o osso grande do lado do pé se projeta. Esta condição pode causar dor e pressão significativa ao usar sapatos que são muito apertados. Medicamentos anti-inflamatórios e aplicação de gelo podem reduzir significativamente a dor e o inchaço, mas às vezes é necessária uma cirurgia. Às vezes, as injeções de corticosteróides podem aliviar a dor e o inchaço, no entanto, podem causar efeitos colaterais, como irritação local ou danos nos tecidos circundantes.

Quando a dor no pé e o inchaço são devidos a uma fratura de estresse, o pé pode precisar ser moldado antes que ele possa se curar. Após a cicatrização, a dor e o inchaço geralmente diminuem. Os cremes esportivos e os esfregamentos analgésicos podem ajudar os sintomas, no entanto, seus efeitos geralmente são temporários e não devem ser usados ​​indefinidamente. Além disso, envolver o pé em uma ligadura de pressão após a aplicação da pomada pode, por vezes, proporcionar alívio e suporte adicionais para o pé doloroso.

Na ausência de lesão, a causa desses sintomas precisa ser investigada. Às vezes, o inchaço do pé e do tornozelo pode ser o resultado de uma circulação fraca, doença cardíaca ou doença renal. O médico pode pedir exames de sangue para determinar a função renal, e ele pode recomendar um teste de ultra-som para determinar se o fluxo de sangue que vai ao pé está sendo impedido.

Embora os medicamentos antiinflamatórios possam melhorar significativamente os sintomas de dor nos pés e inchaço, eles não são tolerados por todos. Medicamentos como aspirina e ibuprofeno podem causar sintomas gastrointestinais, tais como dor estomacal, cólicas abdominais e azia em certas pessoas. Para aqueles que são intolerantes a esses medicamentos, os analgésicos de acetaminofeno podem ser um substituto viável. Embora eficazes para o alívio da dor, eles fazem pouco para reduzir o inchaço.

Quais são as causas comuns de não ter uma secreção vaginal?

As causas mais comuns de não ter enxofre vaginal são os desequilíbrios hormonais, muitos dos quais ocorrem como uma parte normal da menopausa, gravidez e, às vezes, até mesmo a menstruação. Os hormônios das mulheres flutuam bastante regularmente ao longo de seus ciclos mensais, e alguns dias podem ser mais secos, dependendo do momento da ovulação e da espessura das paredes uterinas. A química do corpo individual também desempenha um papel. Uma série de hidratantes e lubrificantes sem receita médica podem aliviar os sintomas temporários, mas as mulheres que não experimentam a descarga geralmente devem procurar uma solução mais permanente. A descarga é uma parte importante da saúde reprodutiva na maioria dos casos, e uma ausência completa pode ser um sinal de uma condição mais grave, particularmente se uma mulher também sente dor ou coceira.

O sistema reprodutivo feminino depende de um sistema complexo de hormônios para funcionar, e esses sinais químicos existem em um estado de fluxo quase constante. Alguns de seus maiores empregos são a regulação da ovulação, que é quando um ovo cai do ovário para fertilização e a gestação real, uma vez que a fertilização acontece, mas também controlam coisas menores como inchaço mamário, inchaço abdominal e níveis de humidade vaginal.

Muitas mulheres experimentam um refluxo natural e circulam na descarga vaginal durante vários pontos em seus ciclos menstruais. Isto é considerado normal, mesmo que nenhuma descarga esteja presente em certos dias. Aqueles que experimentam esta condição constantemente, que têm irritação ou dor durante o sexo, ou que nunca tiveram corrimento vaginal normal, podem ter problemas com hormônio. Especificamente, eles podem estar experimentando uma queda significativa no estrogênio. Uma série de condições e doenças podem causar esse tipo de mergulho, embora na maioria dos casos possa ser corrigido com terapia hormonal e mudanças de estilo de vida.

É bastante comum que as mulheres não vejam descarga vaginal quando começam a menopausa. A menopausa é um fenômeno natural em mulheres de meia-idade e basicamente é um encerramento do sistema reprodutivo – quando o processo estiver completo, as mulheres não receberão mais períodos mensais e não poderão engravidar. As mudanças que devem acontecer para chegar a este ponto são muito complicadas, porém, e eles exigem uma série de picos hormonais, mergulhos e desequilíbrios periódicos. Espaços de tempo sem descarga geralmente são considerados normais.

Do mesmo modo, a secura também pode ser uma parte normal da gravidez e recuperação após o parto. Os níveis hormonais de uma mulher flutuam muito durante esses dois eventos, e mudanças na umidade vaginal são comuns. Em quase todos os casos, a devolução regular retorna assim que uma mulher está de volta ao seu estado reprodutivo normal.

Certas questões de fertilidade, como a síndrome do ovário policístico, podem levar à ausência de secreção vaginal em algumas mulheres. Fibróides, que são crescimentos no útero ou no trato reprodutivo, também podem contribuir. Essas condições geralmente podem ser tratadas com medicação de substituição hormonal, mudanças na dieta e suplementos para imitar ou substituir hormônios naturais. Nem todas as mulheres com desequilíbrios experimentam secura vaginal, mas é bastante comum.

Algumas mulheres também não podem experimentar nenhuma secreção vaginal depois de tomar certas medicações prescritas ou sem receita médica. Algumas pílulas anticoncepcionais se enquadram nesta categoria. Um pouco de secura geralmente não é problemática, mas, se não houver descarga durante muito tempo, pode levar à dor, particularmente durante a relação sexual. Se isso ocorrer, alterar os medicamentos ou alterar a dose pode ser uma boa opção. Dependendo das circunstâncias, porém, a secura pode não ser suficiente para justificar a interrupção de um medicamento, especialmente quando está sendo usado para tratar algo sério.

Especialistas geralmente recomendam que as mulheres conversem com um profissional de saúde se sofrem de secura vaginal que dure mais de uma semana ou que causa dor, ou a qualquer momento a falta de alta é acompanhada por outros sintomas como febre, coceira ou cólicas extremas . Estes poderiam ser sinais de uma condição mais séria. Em geral, geralmente não é aconselhável que os pacientes se tratem usando o lubrificante contador até que uma causa subjacente de secura seja determinada. Os lubrificantes geralmente são projetados para complementar os níveis de umidade, e não substituí-los. O uso prolongado pode encobrir problemas maiores e pode realmente prejudicar a capacidade do corpo de regular as condições vaginais.

Quais são as causas da talassemia menor?

Thalassemia menor é uma doença hereditária que é causada por um defeito genético. A hemoglobina, que é uma proteína rica em ferro nos glóbulos vermelhos, consiste em duas cadeias de proteínas chamadas globinas alfa e beta. Quando os genes que controlam a fabricação das cadeias proteicas na hemoglobina estão ausentes ou alterados, então ocorre talassemia.

Existem quatro genes necessários na fabricação das cadeias de proteínas alfa, duas de cada pai. Se apenas um gene estiver faltando, então a pessoa é uma transportadora silenciosa, o que significa que não há sinais de doença, mas existe um risco para a próxima geração. Se houver dois genes em falta, o alfa Thalassemia Menor, também conhecido como alfa Talassemia, é o resultado.

Há uma anemia leve associada a esta condição. Quando a mutação genética envolve três genes, o resultado provável é a doença de hemoglobina H, para a qual uma anemia moderada a grave é o sintoma. Nos casos em que faltam os quatro genes, a condição é a talassemia maior alfa. Isso geralmente resulta em morte logo após o nascimento.

Apenas dois genes são necessários na fabricação da cadeia de proteína beta, um de cada pai. Beta talassemia menor é o resultado de ter um gene alterado. Mais uma vez, isso causa anemia leve. Quando ambos os genes são afetados, beta talassemia intermedia ou maior causa de anemia moderada e grave, respectivamente.

Raças diferentes são mais propensas a uma das doenças do sangue do que a outra. Os povos do sudeste asiático, chinês, filipino e indiano são mais afetados pela talassemia alfa, enquanto o tipo beta é mais freqüentemente encontrado em pessoas de ascendência mediterrânea e africana. O sintoma de ambos os tipos de talassemia menor é a anemia leve, mas em muitos casos, não há sinais ou sintomas da doença. Alguns sofredores podem achar que eles são facilmente cansados, mas não podem atribuir isso a uma causa específica.

Embora as tálassemias moderadas e graves sejam frequentemente diagnosticadas no momento em que a criança é dois devido à gravidade dos sintomas, a talassemia menor geralmente é diagnosticada após a anemia ser encontrada após um exame de sangue padrão. Muitas vezes há confusão sobre se a anemia é por causa de uma deficiência de ferro ou problemas com a fabricação das cadeias de proteínas globinas. Isso é resolvido por um teste que mede a quantidade de ferro no sangue. Os sofredores de talassemia menor geralmente precisam de pouco ou nenhum tratamento.

Quais são comportamentos psicóticos?

Os comportamentos psicóticos são tipicamente sintomas do estado de espírito perturbado de um indivíduo que perdeu o contato com a realidade. Esses comportamentos incluem discurso desorganizado, agressão e expressões de paranóia e medo não razoáveis. Dependendo das circunstâncias de um indivíduo, os comportamentos psicóticos também podem incluir a recusa de banhar-se, o fracasso em frequentar a escola ou ir para o trabalho, e um declínio geral na capacidade de administrar tarefas básicas de vida. Muitos indivíduos que experimentam psicose também se queixam de alucinações e ouvindo vozes.

Quando uma pessoa diz ser psicópata, ele ou ela geralmente sofre de uma doença mental. Em alguns casos, o uso ou retirada de drogas também pode resultar em comportamentos psicóticos. A psicose é um sintoma de muitas doenças mentais diferentes, incluindo transtorno bipolar e esquizofrenia. Ocasionalmente, indivíduos que sofreram um choque significativo, como a perda de um ente querido, podem demonstrar esses comportamentos por um curto período de tempo.

O discurso desorganizado e a dificuldade com a comunicação são muitas vezes um dos comportamentos psicóticos mais óbvios e um sinal tanto para os profissionais de saúde mental quanto para os entes queridos de que um indivíduo pode sofrer problemas mentais. Enquanto na psicose, um indivíduo pode pular do sujeito para o sujeito na conversa e pode ter dificuldade em entender a si mesmo. À medida que a condição mental de um indivíduo se deteriora, então o discurso dele, e ele ou ela pode eventualmente simplesmente falar em palavras e frases absurdas. Esse fenômeno é freqüentemente chamado de “salada de palavras” por especialistas em saúde mental.

Outra indicação comum de psicose é a incapacidade do indivíduo afetado de cuidar adequadamente de si próprio, mesmo se ele já tenha sido capaz de viver de forma independente. Uma pessoa pode se recusar a cuidar de sua higiene pessoal e pode não expressar interesse em corrigir esse problema, mesmo que amigos e familiares apontem que sua aparência ou odor corporal é ofensivo para os outros. O indivíduo também pode se recusar a realizar tarefas básicas de limpeza, como limpeza, retirar o lixo ou mesmo preparar comida para seu próprio consumo.

Talvez os comportamentos psicóticos mais perturbadores sejam aqueles que decorrem da paranóia e delírios sobre os outros. Um indivíduo que experimenta psicose pode acreditar que cuidadores, membros da família e amigos estão fora para machucá-la e podem tornar-se acusadores ou violentos contra essas pessoas. Ela pode até tentar se prejudicar. Nesses casos, pode ser necessário hospitalizar por força ou medicar o indivíduo até que seus sintomas e comportamentos diminuam.

Devo tomar quinina para cãibras nas pernas?

A quinina é uma medicação formulada para tratar uma condição médica potencialmente fatal, conhecida como malária. Este medicamento também foi usado por vários anos para tratar cólicas dolorosas nas pernas, particularmente aquelas que ocorrem à noite. O uso de quinina para cãibras nas pernas é conhecido como um uso fora do rótulo, porque o quinina não está formulado para tratar especificamente cãibras nas pernas. Houve muitos relatos de efeitos colaterais negativos decorrentes do uso de quinina para este propósito, variando de efeitos colaterais relativamente suaves, como náuseas ou zumbidos nas orelhas, para efeitos colaterais mais graves, como ataques cardíacos ou derrames.

Embora muitos pacientes tenham relatado resultados positivos do uso de quinina para cólicas nas pernas, houve relatos tão significativos de efeitos colaterais prejudiciais, incluindo a morte, razão pela qual muitos profissionais médicos não estão mais dispostos a prescrevê-lo. À medida que a tecnologia médica continua a avançar, tratamentos mais seguros para cãibras nas pernas estão se tornando disponíveis, reduzindo a necessidade de considerar o uso desta medicação.

Alguns pacientes relataram apenas pequenas preocupações ao tomar quinina para cãibras nas pernas. Esses efeitos colaterais podem incluir dores de cabeça, náuseas ou tonturas. Uma lágrima leve pode estar presente em alguns casos, ou o paciente pode sofrer um toque ocasional nos ouvidos. Esses efeitos colaterais podem não ser suficientes para justificar a mudança de medicamentos. Infelizmente, houve muitos relatos de efeitos colaterais muito mais sérios.

Os ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais estão entre os efeitos colaterais potenciais mais sérios do uso de quinina. Uma condição conhecida como trombocitopenia também foi relatada. Esta é uma condição médica em que o corpo não faz plaquetas suficientes, a porção do sangue responsável pela coagulação. Esta diminuição na produção de plaquetas pode levar distúrbios hemorrágicos ou mesmo hemorragia. Sem tratamento médico imediato, o paciente que sofre deste efeito colateral pode sangrar até a morte.

A quinina mostrou-se interagir negativamente com muitos outros tipos de medicação. O paciente que considere tomar quinina para cãibras nas pernas deve ter certeza de informar seu médico sobre todos os medicamentos que estão sendo tomados, sejam medicamentos sem receita médica, prescrição ou medicamentos à base de plantas. Perda auditiva, insuficiência renal e insuficiência hepática também foram relatados como possíveis efeitos colaterais de tomar medicamentos contendo quinina. Houve muitas ações judiciais arquivadas por pacientes ou familiares sobreviventes relacionadas ao uso deste medicamento, então qualquer paciente que tenha sofrido algum desses efeitos colaterais pode querer considerar entrar em contato com um advogado para obter aconselhamento jurídico.

Quais são os benefícios do exercício isocinético?

Após uma lesão, o exercício isocinético pode ajudar o paciente a se reabilitar rapidamente. O exercício isocinético é qualquer exercício realizado com equipamento especializado que mantém uma velocidade de movimento constante, independentemente da quantidade de esforço na máquina. Em outras palavras, se um usuário estiver sentado em uma bicicleta e pedalando em uma cadência, a máquina ajustará a resistência se o usuário começar a exercer mais pressão sobre os pedais ou se o usuário exercer menos pressão sobre o pedal. Isso ajuda a manter uma velocidade constante, e incentiva um alto grau de contração muscular, enquanto ainda permite que os membros do corpo se movam livremente.

Um dos maiores benefícios do exercício isocinético é a capacidade de desafiar os músculos sem arriscar-se a esticar ou rasgá-los. Isso é possível porque a resistência do exercício isocinético é variável de acordo com a quantidade de pressão exercida, de modo que o nível do treino pode ser facilmente controlado. Essa variabilidade é particularmente útil para a reabilitação de lesões, onde o risco de re-ferimento é alto. Os atletas se beneficiam do exercício isocinético porque os músculos estão sendo usados ​​em um nível ótimo – não é suficientemente difícil para que as cepas possam ocorrer, mas são bastante difíceis para que os músculos estejam trabalhando bem.

O exercício isocinético também promove uma maior amplitude de movimento, trabalhando os músculos de forma a que eles sejam mais equilibrados em termos de força com os tendões. Os músculos das pernas em particular são afetados positivamente por esse exercício, e muitos usuários de rotinas de treino isocinéticas muitas vezes se encontram mais flexíveis e equilibrados do que quando começaram. A isocinética também promove o crescimento muscular, preparando o corpo para atividades de desenvolvimento muscular mais intensas, como o levantamento de peso.

Enquanto as máquinas de exercícios isocinéticas são muito caras – tão caro que até mesmo muitos ginásios e centros de fitness não podem pagar – algumas máquinas isocinéticas mais simples podem ser compradas baratas e usadas em casa. A melhor opção para uma máquina isocinética caseira é uma bicicleta de exercício com resistência ajustável. A bicicleta de exercício deve ter um computador ou controle manual que limita a quantidade de revoluções por minuto que um piloto pode alcançar. Isso evita que o piloto avance muito rápido para colher quaisquer benefícios do exercício. Estes tipos de exercícios na bicicleta de exercício são uma forma menos precisa de exercícios isocinéticos; para uma forma mais precisa que assegure o desenvolvimento muscular adequado, deve-se visitar um centro de saúde ou centro de reabilitação equipado com máquinas adequadas.

Quais são as injeções de placenta?

As injeções de placenta são tratamentos de placenta que podem incluir componentes da placenta de uma variedade de animais, incluindo ovelhas, embora também possam incluir placenta humana. Quando feita de placenta humana, o sangue e outros tecidos são modificados, embora as enzimas permaneçam intactas. Embora não se acredite que esses tratamentos possam causar doenças, alguns médicos continuam céticos quanto à segurança e à utilidade dos tratamentos. Nas nações asiáticas, onde os tratamentos são comumente usados, muitas pessoas afirmam que as injeções de placenta criam um visual mais jovem, aumentam a energia e podem tratar doenças hepáticas.

Os componentes desses tratamentos são coletados das placentas de humanos ou animais após o parto. Para tornar este material seguro para injetar na corrente sanguínea de um paciente humano, a placenta é testada quanto a doença e é purificada para remover componentes que podem ser prejudiciais. Certas proteínas na placenta também podem ser tornadas inertes através do processo de esterilização que a placenta sofre.

Uma vez que o material para as injeções é esterilizado e pronto para uso em seres humanos, ele ainda contém uma série de enzimas que podem ser benéficas. Certos hormônios, componentes do sistema imunológico e nutrientes que nutrem um feto em crescimento podem ter benefícios para a saúde em pacientes adultos. Embora ainda não se saiba como ou em que medida essas enzimas podem ser benéficas, evidências anecdóticas sugerem uma variedade de benefícios do uso de injeções de placenta.

Estudos realizados em ratos mostraram que as células do fígado podem ser regeneradas através da administração de tratamentos de placenta. Eles são comumente usados ​​em alguns países para tratar doenças hepáticas, embora haja pouca evidência para sustentar sua eficácia em seres humanos. Em países que aprovaram o uso de tratamentos à base de placenta, o tratamento também é usado para aliviar os sintomas da menopausa, aumentar o sistema imunológico e aumentar a energia.

A segurança das injeções de placenta não foi totalmente avaliada, e muitos estão preocupados com a possibilidade de haver conseqüências inesperadas do uso desse tratamento. No Japão, as pessoas que recebem essas injeções não têm permissão para doar sangue porque existe o risco de transmitir os agentes patogênicos transmitidos pelo sangue a partir do material na injeção. Foi especulado que as injeções de placenta também podem ser responsáveis ​​por doenças graves, embora a evidência médica não seja conclusiva.